Cattleya walkeriana

Cattleya_walkeriana_pq

Cattleya walkeriana

A Cattleya walkeriana é uma orquídea endêmica do Brasil, ou seja, só é encontrada na natureza em florestas brasileiras. Esta orquídea apresenta várias tonalidades de desde alba (branca) até rubra (rosa/avermelhado). E ela é uma das mais desejadas entre colecionadores. Em uma publicação anterior, foi contada a história do nome do gênero Cattleya clique aqui para ir para publicação. Agora como surgiu o nome walkeriana? Para entender precisamos voltar um pouco na história. O nome Cattleya walkeriana foi dado em 1839 por George Gardner e publicado em 1847 no The London Journal of Botany (O Jornal de Botânica de Londres) organizado pelo Sir William Jackson Hooker diretor dos Jardins Real de Kew (Royal Botanic Gardens of Kew) na Inglaterra. George Gardner foi um médico cirurgião nascido em Glasgow (Escócia) que também era apaixonado por plantas. Encorajado por Hooker, Gardner veio em viagem para o Brasil para coletar plantas no Norte, Nordeste e Sudeste brasileiro permanecendo aqui por 5 anos. Nos últimos 2 anos contou com a ajuda de um assistente o Inglês Edward Walker. Walker foi de grande importância para Gardner pois foi quem ajudou a coletar e preparar boa parte dos 60.000 (sessenta mil) exemplares de plantas coletadas no Brasil. Em 1846, Gardner publicou um livro contanto suas aventuras no Brasil cujo o título foi “Viagens no Interior do Brasil” (do Inglês – Travels in the Interior of Brazil). Mas em 1843, Gardner excresceu uma nota botânica para o livro de William Hooker com auxílio do Professor Dr. Jonh Lindley. Nesta nota, Gardner descreve quatro novas espécies de orquídeas, sendo uma delas a Cattleya walkeriana. Gardner relata que escolheu este nome para homenagear o assistente que o ajudou nas árduas coletas pelo interior do Brasil. De acordo com Gardner esta orquídea estava em uma árvore próximo a um pequeno curso de água que desaguava no Rio São Francisco além da cidade de Diamantina, estado de Minas Gerais.

Essa é a história do da Cattleya walkeriana ou “A Cattleya do Walker”.

Referências. 

Foto: Warner, R. e Williams, B.J. The Orchid Album (1883). Vol IV, plate 154.
https://www.kew.org/science/tropamerica/gardner/bibliography.html
https://www.kew.org/science/tropamerica/gardner/
Hooker, W.J. The London Journal (1843). Vol.2, pp 662-663.